BANNER HOME
 

Duas exposições incríveis que você não pode perder em São Paulo.

Posted by Smartbag in Lifestyle 19 jul 2017
Share

Hoje vamos falar aqui no blog sobre duas exposições incríveis que você não pode perder em São Paulo. A cidade é conhecida por ter uma vida cultural muito grande e ativa, e não é à toa que a capital paulista merece este título. Com exposições de grandes nomes e de tirar o fôlego, hoje vamos falar de duas exposições que estão dando o que falar na cidade: “Modos de Ver o Brasil: Itaú Cultural 30 Anos” e a “Toulouse-Lautrec em Vermelho”.

 

A exposição “Modos de Ver o Brasil: Itaú Cultural 30 Anos” comemora as três décadas de atividade do instituto com um mergulho em cerca de 800 obras do acervo de arte do Itaú Unibanco.

 

Língua, Antonio Dias – 1965.

 

A exposição se divide em dois grandes grupos, o primeiro, foi convidado pelo instituto para a curadoria, Paulo Herkenhoff, Thais Rivitti e Leno Veras, que reuniram uma grande seleção, que ocupa, os quatro andares da Oca, as obras seguindo a ideia de constelação: pela proximidade, diálogos entre artistas, temas e momentos históricos são criados, sem que haja um percurso único – ou seja, você pode andar livremente por estes andares, sem seguir uma ordem específica.

 

Num segundo momento, temos a expografia, criada pela equipe de Álvaro Razuk, que acompanha essa orientação e dispõe as obras em um modelo radial, que dá uma visão de conjunto de cada andar e só sugere caminhos e seções, sem delimitar o acesso. Também no sentido de incentivar múltiplas visões está o app itaucultura.org.br/30anos, em que você pode sugerir os seus próprios caminhos pela mostra, assim como acessa todos os textos e entrevistas.

 

O impossível, Maria Martins – década dos anos 40.

 

A exposição é muito legal porque também ressalta os esforços do instituto em incentivar a criação, a manutenção da memória e o pensamento crítico em cultura. A entrada é gratuita, e acontece de terça a domingo, das 9h às 18h, até o dia 13 de agosto na Oca, que fica dentro do Parque do Ibirapuera, na Avenida Pedro Álvares Cabral, portão 3. O telefone para contato é o 11. 3105 – 6118.

 

Já a “Toulouse-Lautrec em Vermelho” acontece no MASP, e é a exposição mais ampla dedicada ao artista no Brasil.

Henri de Toulouse-Lautrec (1864-1901) foi um dos artistas europeus mais importantes da virada do século 19 para o século 20, a época mais decisiva para a arte moderna e palco para as transformações politicas, econômicas e sociais que ate hoje marcam a vida nas cidades ao redor do globo.

 

 

Moulin de la Galette, Toulouse-Lautrec, 1889.

 

“Toulouse-Lautrec em Vermelho” faz uma alusão ao salão de entrada de uma luxuosa Maison Close parisiense, que o artista frequentou nos anos 1890 e onde criou uma relação de amizade com as mulheres que ali trabalhavam. Extrapolando os interiores do salão vermelho, a exposição traz uma profusão de personagens – burguês, boêmios, trabalhadores, dançarinas e artistas que conviviam em Paris e que fizeram parte do circulo afetivo e artístico de Toulouse-Lautrec.

 

A exposição é uma grande mostra, que reúne diversas obras, desde a década de 80, até o fim de sua vida. A exposição contém 75 obras e 50 documentos e é dividida em cinco núcleos.

 

A Roda, Toulouse-Lautrec – 1893.

 

Num ambiente mais amplo das histórias da sexualidade e das representações de gênero, a exposição do artista conversa com outras mostras que acontecem no MASP, dos artistas Teresinha Soares, Miguel Rio Branco, Wanda Pimentel e Tracey Moffatt. Num segundo momento, se relacionará com as de Pedro Correia de Araújo em agosto, Guerrilla Girls em setembro, e, em outubro, com a coletiva Histórias da sexualidade.

 

A exposição acontece de terça a domingo, até o primeiro dia de outubro, no MASP, que fica na Avenida Paulista, 1578. O telefone para contato é o 11 3149-5959. Lembrando que todas as terças a entrada do museu é gratuita. Imperdível!